Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisa aponta que 62% dos eleitores defendem adiamento das eleições municipais


Terça-feira, 12 de maio de 2020

Segundo pesquisa CNT, divulgada nesta terça-feira (12/05), 30% são contra e 7% não souberam ou não responderam.

Pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada nesta terça-feira (12/05), mostra que 62,5% dos brasileiros defendem o adiamento das eleições municipais deste ano devido à crise provocada pelo novo coronavírus.

Por outro lado, 30,4% defendem que as eleições sejam mantidas em outubro, independentemente dos impactos da Covid-19. O restante (7,1%) não soube ou não quis responder o questionamento.

O adiamento é considerado devido ao impacto social e econômico causado pela crise do coronavírus. Até essa segunda-feira (11/05), 11,5 mil pessoas morreram infectadas pelo vírus no Brasil.

Eleito para a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse em abril que a realização das eleições municipais deste ano dependem da pandemia.

O adiamento é considerado devido ao impacto social e econômico causado pela crise do coronavírus. Até essa segunda-feira (11/05), 11,5 mil pessoas morreram infectadas pelo vírus no Brasil.

Eleito para a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse em abril que a realização das eleições municipais deste ano depende da pandemia.

“Nossa maior preocupação é com a saúde da população. Se não houver condições de segurança para realizar as eleições, como conversamos [com ministros do TSE] em reunião informal e administrativa, nós evidentemente teremos que considerar o adiamento pelo prazo mínimo indispensável para que possam realizar-se com segurança”, disse.

Apesar da discussão, nenhuma decisão foi tomada e, por isso, o pleito segue previsto, assim como os prazos.


Metrópoles
Foto ilustrativa da internet
    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário