Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Multidão acompanha sepultamentos dos dois primos mortos por raio na zona rural de Cubati


Segunda-feira, 03 de fevereiro de 2020

Foram sepultados na manhã desta segunda-feira (03), na cidade de Cubati, no Seridó paraibano, os dois jovens vítimas de um raio na tarde do último sábado (01) na zona rural de Cubati, no sítio Malhada do Angico.

Os corpos de Pedro Henrique Ângelo Luciano, de 22 anos e seu primo Fernando Neto Mariano dos Santos, de 16 anos, chegaram à Cubati para serem velados em um ginásio da cidade por volta de 6 horas da noite do último domingo (02).

Nesta segunda feira, pela manhã, houve uma missa de corpo presente na Igreja São Severino Bispo e, em seguida, uma multidão saiu em cortejo até o cemitério da cidade sob forte comoção para dar o último adeus aos jovens.

As duas vítimas estavam acompanhando um trator cortar a terra e, quando começou a chover, foram se abrigar na única árvore que havia próximo ao roçado. Por volta de 15h49 um raio caio na algaroba e os jovens morreram instantaneamente.

Familiares e amigos falaram que Fernando tomava conta do roçado e estava muito feliz porque havia chovido. Ele pretendia plantar nesta segunda feira. Os dois primos eram muito amigos, como se fossem irmãos, e andavam sempre juntos.

Como se forma um raio

De acordo com o pesquisador Marcelo Saba, do Centro de Ciências de Sistemas Terrestres do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), “A formação do raio é sempre na nuvem que vai se eletrificando e o raio ocorre na natureza quando há separação de cargas. Alguns deles, não são a maioria, vêm para o solo e podem descarregar em pessoas, causar queimaduras e até paradas cardiorrespiratórias. A potência é bem alta, pois é muita energia em pouco tempo, mas não é o suficiente para iluminar uma casa por muito tempo e é difícil de capturar uma energia dessas”, define Saba.

Ainda segundo o pesquisador, há mais possibilidade de quedas de raios em períodos chuvosos com mais calor. “Geralmente, as tempestades acontecem em períodos chuvosos de mais calor, mais convecção, formação de nuvens grandes. Quando uma pessoa disser que a nuvem esta escura, é bom ter cuidado. O momento que se escuta o trovão é um alerta que a nuvem está carregada eletricamente, e nesse momento é possível haver uns raios”, afirma.

Ao contrário do que se imagina, os raios não surgem de chuvas recorrentes. “Não acontecem em chuvas contínuas de longo prazo. Os raios estão em nuvens que surgem abruptamente. No verão, geralmente no fim de tarde. Em épocas de muitas nuvens, época mais quente e úmida é necessário ficar de olho no tipo de nuvem que se forma”, explica.
Recomendações de segurança
·         Durante ameaça de raios, ficar dentro de lugares fechados;
·         Evitar praias, campo aberto, lavoura;
·         Não ficar em paradas de ônibus, debaixo ou perto de árvores;
·         Em descampado, nunca ficar de pé ou totalmente deitado, mas sim agachado.
Mitos e verdades
·         Sinos afastam raios: Mito
·         Espelhos atraem raios: Mito
·         Estruturas metálicas atraem raios: Verdade
·         Estruturas altas e pontiagudas atraem raios: Verdade
·         Um raio não cai duas vezes no mesmo local: Mito


 



    

Arvore em que os primos Pedro e Fernando estavam abrigados
por conta da chuva, era o local mais alto entre o solo e as nuvens
  

Algaroba em que o raio caiu e matou os dois primos 







Sandália de Pedro Henrique, ficou intacta após o raio



São Vicente Agora
Fotos São Vicente Agora

    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário