Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Padre paraibano fala sobre evangélicos e diz que "quantidade não é qualidade”


Segunda feira, de dezembro de 2018

  
Uma das personalidades católicas mais experientes, emblemáticas e respeitadas do Brasil, Monsenhor Gervásio Queiroga, 84 anos, padre da Diocese de Cajazeiras, no Alto Sertão paraibano, opinou sobre a atual situação da Igreja Católica e o crescimento da comunidade evangélica protestante.

Ordenado há 57 anos em Cajazeiras, com 10 anos de atividades em Roma e 20 na CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), Monsenhor Gervásio Queiroga fala com autoridade sobre o conhecimento que tem acerca da Igreja Católica.

Para ele, a Igreja vive atualmente seu melhor momento em termos de dedicação dos fiéis leigos e dos que pretendem se tornar sacerdotes. Ele recorda que no passado havia, por exemplo, bem menos participação dos homens leigos. “Eu acho a situação da igreja no Brasil muito melhor do que antigamente em todos os sentidos”, frisou.

Indagado sobre o aumento do número de evangélicos protestantes segundo dados do IBGE, Monsenhor Gervásio Queiroga questionou se essas pessoas estão procurando as igrejas evangélicas por vocação cristã ou por outros interesses. Ele ressalta que tais pesquisas de estatística não podem responder à dicotomia quantidade x qualidade, tanto para evangélicos como para católicos.

“Estatística é estatística, é quantidade, não é qualidade. Você pode ter 100% de católicos e 90% não vai à igreja. Então, de fato, você tem é 10%. É só para dizer que isso é muito relativo. Número é número. Tem que olhar qualidade, e qualidade não se mede estatisticamente. Porque foram ser protestantes? É também por convicção ou às vezes é por interesse? Deus é quem pode julgar.”


Diário do Sertão
Foto reprodução Diário do Sertão

Veja mais notícias no www.saovicenteagora.com.br curta o Facebook AQUI siga o Twitter AQUI o canal do You Tube AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as principais notícias do dia. Você também pode falar com a redação através do WhatsApp (83) 9 8105 2934


    Comente pelo Blogger
    Comente pelo Facebook

0 comentários:

Postar um comentário