sexta-feira, 11 de novembro de 2016

NEPOTISMO: Nova gestão nomeia parente para o cargo de chefe de gabinete

 Resultado de imagem para NEPOTISMO
Dema Macedo
Foto ilustrativa da internet 


O vereador Jojó Melo (PTB), não conseguindo sua reeleição [foi uma surpresa] para Câmara Municipal de Pedra Lavrada, no Seridó da Paraíba, mas teve seu nome indicado para a chefia de gabinete. A indicação foi feita pelo seu primo, prefeito eleito Jarbas Melo (PSD), que tomará posse em 1º de janeiro do próximo ano.

O futuro prefeito surpreendeu nas eleições derrotando o eterno [sem ser prefeito] presidente da FAMUP, Tota Guedes, que praticamente fazia um culto durante sua campanha, no palanque, com a música gospel “ Advogado Fiel", de Bruna Karla.

O presidente da FAMUP reeleito mesmo sem ser prefeito, responde processos na justiça por malversação de recursos públicos.

Nas indicações do quadro de secretariados para compor seu governo, Jarbas começou olhando para os seus [nepotismo], ao nomear um primo na chefia de gabinete.

A prática de nepotismo tem deixado a população de olho nas movimentações dos novos prefeitos eleitos e reeleitos, que pregavam mudança.

 Jojó Melo e seu primo, prefeito eleito Jarbas Melo 
(Foto reprodução Dema Macedo)


O que diz o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre o nepotismo

Segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), nepotismo é o favorecimento dos vínculos de parentesco nas relações de trabalho ou emprego. As práticas de nepotismo substituem a avaliação de mérito para o exercício da função pública pela valorização de laços de parentesco. Nepotismo é prática que viola as garantias constitucionais de impessoalidade administrativa, na medida em que estabelece privilégios em função de relações de parentesco e desconsidera a capacidade técnica para o exercício do cargo público. O fundamento das ações de combate ao nepotismo é o fortalecimento da República e a resistência a ações de concentração de poder que privatizam o espaço público.


O que diz o Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o nepotismo 

A 13ª Súmula Vinculante, do Supremo Tribunal Federal (STF), aprovada em 21 de agosto de 2008, proíbe o nepotismo nos Três Poderes, no âmbito da União, dos estados e municípios.

A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica, investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança, ou, ainda, de função gratificada na Administração Pública direta e indireta, em qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição Federal.

Veja mais notícias no www.saovicenteagora.com.br curta o Facebook AQUI siga o Twitter AQUI o canal do You Tube AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as principais notícias do dia. Você também pode falar com a redação através do WhatsApp (83) 9 9347- 476






Nenhum comentário:

Postar um comentário