sábado, 15 de outubro de 2016

Segundo foto aérea, Açude de Boqueirão está perto de ficar totalmente seco

Foto aérea mostra situação crítica de Boqueirão 
Portal Correio
Foto: Ayslana Luana


Uma foto área capturada pela internauta Ayslana Luana mostra o atual cenário de seca no açude Epitácio Pessoa, na cidade de Boqueirão, responsável por abastecer Campina Grande e outras 19 localidades. O volume acumulado do manancial caiu para 6,4% de capacidade.

Segundo dados da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Boqueirão pode armazenar mais de 411,6 milhões de metros cúbicos (m³), mas está com apenas 26,3 milhões de m³.

A possibilidade de esvaziamento total do açude fez com que o prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSDB) e o deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) visitassem a obra da transposição do São Francisco, que vai trazer água do rio para Boqueirão.

Na visita, a preocupação ficou com o prazo final da entrega da obra em Monteiro, prevista para abril de 2017, sendo que Boqueirão tem previsão de ‘zerar' em janeiro.

“Esse cronograma não é muito animador, principalmente para Campina Grande e os municípios que dependem das águas de Boqueirão. Só teremos água em Monteiro em abril e nesse período já estaremos enfrentando um sério problema na região de Campina Grande. Temos que correr contra o tempo”, afirmou o deputado.

Estado faz ‘Primavera das Águas’ em meio à crise em CG

O governo do Estado tem inaugurado uma série de obras hídricas em toda a Paraíba, no que a gestão chama de ‘primavera das águas’. Conforme divulgado até o dia 28 de setembro, foram inauguradas adutoras de Aroeiras, Natuba, Conceição, Areia, a Barragem Nova Camará e o sistema adutor Nova Camará, entre ouras obras.

Apesar disso, Campina Grande e a região da Borborema seguem sem alternativa até que a transposição do Rio São Francisco seja concluída.

O governo do Estado, por meio da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) e da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), descartou alternativas que poderiam dar mais tempo para que Campina Grande não fique sem água.

Entre as alternativas estudadas, havia a interligação do sistema de abastecimento da Grande João Pessoa com o de Campina. Porém, o Estado alegou que além do alto custo, a obra poderia prejudicar o abastecimento de água na Capital.

O governador Ricardo Coutinho, no programa estatal de rádio do qual participa, comentou a situação da seca na Paraíba e citou ações emergenciais em parceira com o governo federal.

“Estamos passando pela fase mais crítica. Liberei para a defesa civil os carros-pipa. A situação de emergência atinge 196 municípios. Dos 125 açudes monitorados pela Aesa, 53 estão em situação crítica, com menos de 5% da sua capacidade, 33 açudes estão com menos de 20% e só 39 têm mais de 20%. Ou seja, é uma situação extremamente delicada. Nós temos mais de 20 cidades em situação de colapso”, lamentou Ricardo.

“Tenho conversado com o ministro Helder Barbalho (Integração Nacional) no sentido de agilizar a parte do governo federal. O secretário João Azevedo já levou para o ministério algumas adutoras que estavam pendentes. O plano de trabalho, no caso de Diamante, Boa Ventura, Santana de Mangueira e Pilões. Aguardo resposta para uma troca que fizemos ao deixar de lado o dessalinizador e colocar o recurso em uma contrapartida do Estado para São José de Piranhas, que está em colapso, para Monte Horebe e para Piancó”, concluiu o governador. 

Veja mais notícias no www.saovicenteagora.com.br curta o Facebook AQUI siga o Twitter AQUI o canal do You Tube AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as principais notícias do dia. Você também pode enviar informações para a redação através do WhatsApp (83) 9 9347- 4768






Nenhum comentário:

Postar um comentário