terça-feira, 21 de junho de 2016

Estudo indica que homens com “membros” maiores estão mais sujeitos a serem traídos por suas companheiras

QG Brasil
Foto ilustrativa da internet


Um estudo pouco convencional feito no Quênia mostrou que, em função da insatisfação sexual causada pelo excesso de centímetros, mais mulheres buscam relações extraconjugais.

Levante a mão quem já foi traído. Parabéns, se você ergueu a sua. Não, não há nada de bom em ter sido deixado para trás por uma mulher. Acontece que, segundo um estudo feito por pesquisadores no Quênia, ao contrário do que todos nós poderíamos supor, homens que foram enganados pelas respectivas esposas têm pênis maiores do que os demais.

Foram entrevistados 545 casais no país africano para que fossem entendidos melhor os relacionamentos entre eles e, mais especificamente, para que fossem identificados os motivos que faziam as mulheres ser infiéis. Os pesquisadores perguntaram qual era o tamanho do pênis do sujeito e deram uma régua de quase 40 centímetros para ajudá-los a estimar. O homem dizia o tamanho, a mulher dava a versão dela, e os responsáveis pelo estudo ou tiravam a média entre os dois, ou confiavam na pessoa que parecesse mais honesta.

Cada polegada de pênis a mais aumentou a probabilidade de a mulher estar envolvida em um relacionamento extraconjugal”, escreveram os pesquisadores no jornal científico PlosOne. “As mulheres associaram pênis grandes com dor e desconforto durante o sexo, e isso as impedia de ter a alegria e a satisfação sexual que as mulheres devem sentir”.

Veja mais notícias no www.saovicenteagora.com.br curta o Facebook AQUI  siga o Twitter AQUI o canal do You Tube AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as principais notícias do dia. Você também pode enviar informações para a redação através do WhatsApp (83) 9 9347- 4768

Uma das moças entrevistadas, inclusive, chegou a dar um depoimento bastante específico. Ela disse... “Alguns pênis são maiores, mas a minha vagina é pequena. Quando ele tenta colocá-lo dentro dela, doi tanto que eu tenho de procurar por outro homem que tenha um menor e que possa fazê-lo de um jeito que eu goste”.

De acordo com o estudo, 6,2% das 545 mulheres entrevistadas tiveram affairs no período de seis meses que compreendeu a pesquisa. Outros fatores mencionados foram violência doméstica, rejeição ao sexo, proibição de alguma posição sexual, ter menos de 25 anos e a falta de satisfação sexual. A razão por trás do levantamento é nobre: os pesquisadores acharam que, se identificassem os motivos das mulheres para fazer sexo desprotegido, poderiam prevenir uma onda de HIV que tem se espalhado pela região.







Nenhum comentário:

Postar um comentário