sábado, 11 de junho de 2016

Após ser estuprada por um ser humano cadela não resiste e morre

 
Blasting News
Foto reprodução Blasting News


A cadela foi violentada e abandonada com graves ferimentos nas proximidades do Aeroporto, sendo resgatada e levada para uma clínica veterinária.

Mais um caso de violência contra os animais marcou o Brasil. Uma cadela SRD não resistiu aos ferimentos que obteve após ser violentada por um ser humano.

Os protetores do Amigo Bicho, localizado em São Miguel do Oeste - SC, anunciou o crime na última quarta-feira, 8. Além de ter sido violentada, há indícios de que objetos foram introduzidos no ânus e na vagina da cadela, pois os veterinários encontraram barro e outros corpos estranhos na genitália do animal.

Após o ato de violência, o criminoso que realizou o ato a abandonou na rua próximo ao aeroporto da cidade em meio à temperatura de cerca de 7º. Pessoas que viram o desespero da cadela, que mal conseguia se mexer, a levaram para uma clínica veterinária, onde, além de se agonizar de dor, o animal encontrava-se em estado de choque.

A polícia civil investiga o ato criminoso para chegar ao autor. Protetores da cidade, inclusive a entidade sem fins lucrativos, Grupo Amigo Bicho, realiza uma investigação a parte para identificar o autor com a ajuda dos protetores e moradores da região.

Situação recorrente

Não é a primeira vez que casos de 'humanos' que estupram cães tornam-se públicos. Há alguns meses uma outra cadela foi violentada em Salvador, na Bahia. Ferida, a cadela precisou passar por uma cirurgia de reconstrução intestinal e também do canal do reto.


Outros casos de cadelas mortas pelo mesmo tipo de violência são cada vez mais comuns. Mesmo com o crescimento no número de protetores e instituições voltadas para a proteção animal, seres doentes e cruéis não se intimidam e continuam realizando seus atos contra animais indefesos.

É crime!

Embora as penalidades contra quem maltrata animais sejam mais brandas, pelo menos na maior parte do país, a zoofilia, bem como os maus tratos em geral são condutas criminosas no Brasil, passível de prisão e multa.

Entretanto, por termos um sistema carcerário falido, é comum que os magistrados imponham pena de multa e/ou prestação de serviços comunitários à maioria de criminosos que agem contra animais. Claro que existem exceções, de meliantes que realmente foram condenados com penas restritivas de liberdade, mas infelizmente, isso não é comum, mesmo com a previsão legal.

Para mudar essa realidade é preciso, não só leis mais rígidas, mas maior conscientização da população sobre essas condutas criminosas e suas consequências, bem como que o sistema carcerário receba maiores investimentos.


Embora muita gente saía às ruas dizendo que o Brasil precisa de escolas e não de presídios, há centenas de escolas no país, sobretudo no sul e sudeste, que possuem vagas de sobra e muitas nem ofertam aulas no período noturno por falta de alunos. Já as cadeias, além de estarem super lotadas, não possuem capacidade para receberem os quase um milhão de mandados de prisão expedidos no Brasil atualmente, fora aqueles que podem ser decididos todos os dias por novos crimes.





Nenhum comentário:

Postar um comentário