quinta-feira, 5 de maio de 2016

Médico do interior da PB é preso por falsidade ideológica e estelionato

 
Do G1 PB
Foto ilustrativa da internet


Ele abriu duas contas correntes usando documentos falsos, diz delegado.

Segundo a polícia, contas já tinham movimentado milhões de reais.

Um médico foi preso em flagrante na tarde desta quinta-feira (5) em João Pessoa suspeito de estelionato e falsidade ideológica. Segundo o delegado Lucas Sá, da Delegacia de Defraudações, ele chegou a movimentar milhões de reais em contas bancárias abertas com documentos falsos.

As investigações começaram há dois meses, depois da indicação do Instituto de Polícia Científica, que informou à delegacia que havia constatado uma tentativa de fraude na emissão de cédulas de identidade. O suspeito atua como oftalmologia em Patos, no Sertão da Paraíba, e tem registro nos Conselhos Regionais de Medicina (CRM) de vários estados.

Veja mais notícias no www.saovicenteagora.com.br curta o Facebook AQUI  siga o Twitter AQUI o canal do You Tube AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as principais notícias do dia. Você também pode entrar em contato com a redação através do WhatsApp 9 9347- 4768

 “Esse suspeito teria emitido duas identidades falsas e as teria usado para abrir duas contas correntes em um banco privado de João Pessoa. Com elas, ele já havia movimentado milhões de reais, o que gerou uma suspeita no banco. Essas contas já estavam sendo monitoradas há dois meses”, explicou o delegado.

Ele foi preso nesta quinta-feira, quando foi ao IPC tirar uma segunda via de identidade para mãe. Nesse documento, não havia fraude. “Ele foi preso em razão das contas abertas e das duas identidades falsas. Inclusive, em uma dessas identidades, ele se apresenta como sendo analfabeto, mesmo sendo médico”, comentou Lucas Sá.

O delegado ainda informou que o suspeito responde a processos criminais de falsidade ideológica e estelionato em Patos, Natal, Goiânia e Brasília. Todos os crimes são relacionados a aberturas de empresas e clínicas médicas. A Polícia Civil também vai investigar se há alguma irregularidade com o registro no CRM do suspeito.






Nenhum comentário:

Postar um comentário