segunda-feira, 30 de maio de 2016

Crânio aparece em carteira de escola e surpreende funcionários

Crânio foi encontrado em escola de Cabo Frio (Foto: Blog do Eduander Silva)
G1 Região dos Lagos
Foto: Blog do Eduander Silva


Diretora diz que é a 1ª vez que invasão é acompanhada de 'lembrança'.

Funcionários de uma escola municipal de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, que fica ao lado de um cemitério, foram surpreendidos por um osso de crânio que estava em cima de uma carteira em uma das salas na manhã desta segunda-feira (30). Segundo a diretora, a unidade já sofreu outras invasões, mas "nunca aconteceu nenhuma desse tipo, com 'lembrança'", revelou Daniele Almeida, se referindo ao osso humano.

A Polícia Civil trabalha com a hipótese do crânio ter sido pego por um adolescente no cemitério do bairro Jardim Esperança, que é dividido apenas por um muro da Escola Municipal Talita Hernandes Perelló. A suspeita é que a pessoa tenha desenterrado o osso e levado para o colégio. O caso é investigado na 126ª DP e o crânio será periciado no Instituto Médico Legal (IML) de Araruama.

Veja mais notícias no www.saovicenteagora.com.br curta o Facebook AQUI  siga o Twitter AQUI o canal do You Tube AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as principais notícias do dia. Você também pode enviar informações para a redação através do WhatsApp 9 9347- 4768

A escola não tem câmeras de segurança e, segundo a direção, conta com um vigia. Outros casos de invasão já tinham sido registrados, mas nenhum tão inusitado, segundo Daniele Almeida.

"Como o muro da escola dá para o cemitério, às vezes alguns meninos pulam para jogar bola", contou a diretora. Cenídia Bonfim, que também é diretora na unidade, estava na escola no momento em que o inspetor encontrou o osso na carteira.

"Sempre chego na escola por volta das 6h20 e quando o inspetor foi abrir as salas, encontrou o crânio. A polícia foi acionada imediatamente. Depois o IML foi chamado e removeu o osso", contou Cenídia, acrescentando que não acredita que a ação tenha sido praticada por um aluno da própria unidade.

Em nota, a Secretaria de Educação Municipal informou que está em diálogo direto com a escola e com a polícia, e colaborando com as investigações do caso.






Nenhum comentário:

Postar um comentário