domingo, 22 de maio de 2016

Após morte do humorista filho de Shaolin conta que se tornou pai de família

 
PB Agora com EGO
Foto: Globo/Caiuá Franco e arquivo pessoal


O jovem Lucas Veloso é um ator carismático e já vem chamando atenção na novela da Globo Velho Chico. O talento pode ter sido genético já que é filho do humorista Shaolin que faleceu no último dia 14 de janeiro de 2016, com 44 anos. Shaolin tinha sofrido um acidente no dia 18 de janeiro de 2011, na cidade de Campina Grande. Ele dirigia uma Pajero na Alça Sudoeste da BR-230 quando, por volta das 23h30 (horário local), seu carro foi atingido na lateral por um caminhão, saiu da pista e capotou.

Em sua entrevista, Lucas falou sobre a família, a carreira, lembrou do pai, sua inspiração e grande amor.

 "Depois que a gente tem algumas perdas, seja de pessoas, de tempo ou de outras coisas, você aprende a valorizar mais o amor, porque percebe que o tempo passa por você e você nem vê". É desta forma que Lucas Veloso começou a olhar a vida depois da perda de seu pai, o humorista Shaolin, que faleceu em janeiro deste ano, após uma parada cardiorrespiratória.

Veja mais notícias no www.saovicenteagora.com.br curta o Facebook AQUI  siga o Twitter AQUI o canal do You Tube AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as principais notícias do dia. Você também pode enviar informações para a redação através do WhatsApp 9 9347- 4768

De uma hora para outra, o jovem ator de 19 anos precisou assumir as responsabilidades do pai, no mesmo ano em que estreou em seu primeiro papel em novelas, com o divertido Lucas de Velho Chico. "Eu tive uma adolescência 'cortada'. Quando eu fiz 14 anos, meu pai se acidentou e a minha vida mudou. Minha adolescência passou para a fase adulta muito rápido. Depois meu pai faleceu e eu acabei meio que assumindo o lugar dele de pai de família. Então hoje eu sou 'pai' de uma galera lá em casa: da minha mãe, da minha irmã, dos meus primos, tios... Mas estou curtindo esse momento como realmente um paizão", conta.

O posto que ele passou a ocupar ainda serve de aprendizado, mas o ator avalia a relação de confiança depositada: "Eu vejo as pessoas chegarem para me pedir conselhos, e eu não tenho nem 20 anos. Apesar de ainda estar entendendo qual a responsabilidade que o meu pai deixou tão cedo para mim, estou sendo considerado uma espécie de oráculo na família quando chegam para mim e perguntam o que eu acho sobre as coisas", ressalta.

Por mais que guarde uma grande saudade no coração, o artista se mantém forte para encarar seus desafios. "Na minha cabeça, se o universo e se Deus permitiram que tudo isso acontecesse, é porque eu preciso e mereço ter essa missão. Então, ser 'pai de família', como eu brinquei agora, é uma honra, porque não é todo mundo com quase 20 anos de idade que tem uma responsabilidade dessas", destaca e pondera: "Geralmente, na minha idade, o moleque está preocupado em estudar, namorar e procurar um emprego, se for muito. Então, por tudo que eu estou passando, eu digo que eu tenho feito uma faculdade por dia. Mas tem sido bom e eu ainda tenho muita coisa para aprender".


Para segurar essa onda toda, Lucas também tem ao seu lado uma grande companheira: sua mãe Laudiceia. Morando no Rio de Janeiro, o ator morre de saudade da mamãe que mora em Campina Grande, na Paraíba, sua cidade natal. "Eu sou muito apegado à minha mãe, então quando você cresce apegado, é difícil ficar longe. Sofro muito com saudade, mas eu ligo para ela todos os dias. Quando chego lá, a minha preocupação é 'gastá-la'. Então eu peço para ela fazer comida, eu a convido para ver filme, em todo lugar que ela está, quero estar, para usufruir ao máximo o que eu puder", conta com brilho nos olhos só de pensar.

Apesar da distância, o ator tem planos de trazer a mãe para uma temporada no Rio de Janeiro. "Vou ter o prazer de acordar e tomar aquele cafezinho, do jeito que eu gosto e cresci tomando, que só a mãe sabe fazer".

Mas como será que o humorista está se virando longe da família? Lucas confessa que se vira, porém, admite: "Acho que todo mundo que é acostumado com a mãe perto e, quando sai de casa, faz tudo, só que faz meio mal. Você vê o valor que tem uma mãe. Aí você vê como é complicado se virar sem ela, né? É o amadurecimento através da ausência das pessoas". 





Nenhum comentário:

Postar um comentário