domingo, 3 de abril de 2016

66% dos internautas acham que o PMDB traiu Dilma

iG
Foto reprodução da internet


O nada surpreendente, porém sem precedentes, rompimento do PMDB com o governo federal não agradou nem um pouco os eleitores do País. É o que mostra levantamento do instituto Digzoo realizado entre leitores do portal iG entre 30 e 31 de março.

Para 66% dos internautas que participaram da pesquisa, o PMDB traiu a presidente Dilma Rousseff ao encerrar a aliança de 13 anos que mantinha com o Partido dos Trabalhadores – relação que vinha desde o governo de Luiz Inácio Lula da Silva até o atual.

A crítica ao PMDB é mais enfática entre os internautas com entre 25 a 34 anos e entre 35 e 49 anos: 68% e 70%, respectivamente. Por outro lado, na faixa etária acima de 65 anos, 51% discordam e acreditam que o partido não traiu Dilma.

O resultado é um reflexo da própria posição do presidente do PMDB no atual governo federal. Desde que a atual chefe do Poder Executivo assumiu seu cargo, em 2011, Temer já era vice-presidente de Dilma, portanto esteve ao seu lado ao longo de todos os anos da petista no Palácio do Planalto.

Curta o Facebook AQUI  siga o Twitter AQUI  e o canal do You Tube AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as principais notícias da região

Na sexta-feira (1º), o nome de Temer começou a ganhar destaque no Legislativo e no Judiciário em meio ao avanço do impeachment da presidente Dilma, que terá de apresentar sua defesa à comissão que vota sua saída do Planalto já na segunda-feira (4).

Na ocasião, Cid Gomes, ex-governador do Ceará e ex-ministro de Dilma, protocolou uma ação de impeachment contra Temer, ao mesmo tempo em que o Supremo Tribunal Federal confirmou que analisará um pedido pela saída do vice-presidente de seu cargo.

O primeiro pedido é baseado em depoimentos de delatores da Operação Lava Jato que incriminariam o vice-presidente como beneficiário do esquema de propina instalado na Petrobras. O segundo ainda co-responsabiliza o vice pelas chamadas "pedaladas fiscais" de Dilma, principal argumento do impeachment em análise na Câmara.

Realizada entre 30 e 31 de março, após o desembarque do PMDB do governo e os protestos dos apoiadores de Dilma realizados em todo o Brasil, a amostra do instituto de pesquisas Digzzo em parceria com o iG contou com a participação de 3.985 internautas.





Nenhum comentário:

Postar um comentário