quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

MP pede que Segurança da PB investigue combustíveis vendidos por até R$ 10

Portal Correio
Foto ilustrativa da internet





Promotor Glauberto Bezerra disse que enviaria ofício para a Secretaria de Segurança para definir ações de investigação; secretário Cláudio Lima afirmou que cada caso deve ser avaliado detalhadamente.

Diante de denúncias vindas de várias localidades da Paraíba, as quais relatam que o litro da gasolina chegaria a estar sendo vendido a R$ 10, o Ministério Público da Paraíba, através do Diretor-Geral do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (MP-PROCON), Glauberto Bezerra, informou que pedirá a realização de ações por parte da Secretaria de Segurança do Estado para que se investiguem possíveis abusos e que se punam os responsáveis.

Curta o Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora, a página de notícias mais acessada da região do Seridó e do Curimataú paraibano e fique atualizado com as notícias

Em entrevista concedida ao programa Balanço Geral, da Rede Correio Sat, nesta quarta-feira (6), Glauberto Bezerra disse que enviaria um ofício ao secretário de Segurança Cláudio Lima para que ele tome as providências sobre como proceder no caso de combustíveis vendidos a preços abusivos.

Em contato com a redação na noite desta quarta, Cláudio Lima disse que ainda não havia recebido o ofício, mas adiantou que, a partir do recebimento, faria uma reunião com a promotoria para que as ações sejam definidas.

Questionado sobre as denúncias de preços altos e estocagem de combustíveis por terceiros, que estariam fazendo a revenda, o secretário afirmou que tudo deve ser avaliado caso a caso.

“Precisa ser analisada a natureza da infração. Se for criminal, a Secretaria de Segurança entrará em ação”, explicou Cláudio Lima, que acrescentou que, a princípio, fazer a estocagem de combustível caracteriza uma irregularidade, mas, sem dados concretos sobre os possíveis delitos, ainda não poderiam ser definidas penalidades àqueles que os teriam cometido.






Nenhum comentário:

Postar um comentário