quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Seca faz conflitos por água entre cidades da Paraíba chegarem às redes sociais

Nível da barragem é baixo
Portal Correio
Foto reprodução Facebook



Municípios de Nova Olinda e Itaporanga, ambos no Sertão paraibano, já registram desentendimentos sobre o uso da água da barragem Saco, que serve para o abastecimento das duas cidades.

Os conflitos por água no interior do Estado, alimentados por moradores de cidades vizinhas, chegaram às redes sociais. Os municípios de Nova Olinda e Itaporanga, ambos no Sertão paraibano, já registram desentendimentos sobre o uso da água da barragem Saco, que serve para o abastecimento das duas cidades.

O padre Djacy Brasileiro, pároco do município de Santa Cruz, no Alto Sertão, a 445 quilômetros de João Pessoa, foi até o manancial e constatou o baixo volume.

Moradora de Itaporanga, Regina Rosado comentou a visita do padre Djacy e deixou claro que não concorda com a retirada de água para Nova Olinda.

Curta a página do Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias

"Nãm (sic). Levar água para Itaporanga e os novolidenses vão morrer de sede? Se mandarem nossa água para lá eles consomem em uma semana o nosso consumo de dois meses. Deixem nossa água aí onde ela está", apelou a moradora.

Padre Djacy avisou, através de sua página no Facebook, que solicitará uma audiência com o ministro das Cidades, para reivindicar um terceiro eixo da transposição do São Francisco chegando à Paraíba pelo Vale do Piancó.

"Como Pastor, não posso ficar inerte, acomodado, diante do clamor do povo. Tenho que dar minha parcela de contribuição na luta para amenizar o seu sofrimento", disse o padre.

A barragem Saco, que fica em Nova Olinda, tem capacidade para 97 milhões e 488 metros cúbicos de água. Segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), a barragem está com 24,3% de sua capacidade total, ou seja, seu volume atual é de 23,7 milhões de metros cúbicos.

Nessa segunda-feira à noite, no programa Rede Debate, da RCTV (canal por assinatura do Sistema Correio), o secretário executivo do Ministério da Integração Nacional, Carlos Vieira, evitou tecer comentários sobre o pedido do terceiro eixo da transposição. Ele disse que era uma reivindicação dos políticos e eram eles quem teriam que agir.

As brigas, os conflitos e as filas por água vêm aumentando pelo interior do estado. Para o padre Djacy, a região do Vale do Piancó é a que mais sofre no estado e os mananciais, a cada dia que passa, estão mais secos.

Nesta terça-feira (1º), na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o deputado estadual Frei Anastácio (PT) fez um apelo à Aesa e ao Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS) para aumentar capacidade dos açudes do Estado.

A ideia é aproveitar esse período de seca para que os mananciais sejam limpos e desassoriados, fazendo com que aumente a capacidades dos reservatórios quando houver chuvas. “Encaminhamos um requerimento de apelo ao DNOCS e Aesa solicitando que seja feito o desassoreamento de todas essas barragens que estão secas e quase secas”, afirmou o deputado.

Segundo dados da Aesa, apenas 33 dos 124 reservatórios monitorados estão com capacidade armazenada acima de 20% do seu volume total, 35 estão com menos de 20%, 54 açudes com menos de 5% da capacidade, sendo que desses, 22 zeraram suas reservas.

“Os locais mais críticos são as barragens de Serra Branca I, em Serra Branca, Chupadouro, em São João do Rio do Peixe e destacar ainda a situação de Patos, que está com a barragem da Farinha com apenas 0,7% de sua capacidade de armazenamento”, ressaltou o Frei Anastácio.

Moradores do Vale do Piancó também usaram as redes sociais para clamar por água. Claudilene Lopes disse "ter certeza que Jesus vai mandar chuvas para aliviar dos animais, que estão sofrendo muito, e das pessoas".

Rosemere Vidal também fez suas preces. "Deus é poderoso para mudar essa situação. Eu creio!", postou.

Jadcely Serafim Porcino confirma a preocupação do padre Djacy. "Realmente, a situação está cada vez mais preocupante", pontuou.






Nenhum comentário:

Postar um comentário