quinta-feira, 1 de outubro de 2015

WhatsApp se prepara para possível bloqueio por parte das operadoras

Tech Mundo
Foto reprodução internet 


Tendo em vista toda a polêmica em torno do seu serviço de chamadas por voz em diversos países, o WhatsApp parece estar se preparando para um futuro em que a função estaria bloqueada por algumas operadoras. Segundo o site italiano Aggiornamenti Lumia, a desenvolvedora está pedindo para sua comunidade traduzir algumas frases que deixam isso bem claro.

Muitos usuários que fazem parte do programa de tradução do WhatsApp para o italiano receberam um email pedindo para que transformassem as seguintes cinco frases:

Não foi possível efetuar a chamada porque sua operadora não permite ligações pelo WhatsApp. Tente se conectar ao WiFi e faça uma nova chamada.

Não foi possível efetuar a chamada porque seu smartphone está conectado a uma rede WiFi que impede a realização de ligações pelo WhatsApp. Conecte-se a outra rede ou desligue o WiFi.

Sua operadora de celular não permite realizar chamadas pelo WhatsApp. Tente mudar para outra operadora ou conecte-se a uma rede WiFi.

Sua rede WiFi impede a realização de chamadas pelo WhatsApp. Tente trocar de rede ou deligar seu WiFi e use seu plano de dados móveis.

Operadora de celular ou rede WiFi não permite a realização de chamadas pelo WhatsApp.

Ainda não há uma decisão da justiça brasileira sobre a possibilidade de operadoras de celular bloquearem a operação do WhatsApp através de chamadas de voz, mas os desenvolvedores pretendem avisar aos usuários caso isso aconteça.

Curta a página do Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias 

No Brasil, operadoras já cogitaram fazer o app pagar uma taxa para cadastrar usuários na função de chamadas por voz, já que elas mesmas precisam pagar um valor à Anatel anualmente para manter os números de celular ativos.

Acredita-se que, com a pressão de várias operadoras e governos, o WhatsApp deixe de usar os números de celular dos usuários para identificá-los no mensageiro. Uma opção seria utilizar o Facebook, que faz parte da mesma corporação.





Nenhum comentário:

Postar um comentário