domingo, 21 de junho de 2015

Médicos alertam sobre cuidados com a saúde no período junino

cuidados com a saude
Mais PB
Foto reprodução Mais PB



Durante o mês de junho a temperatura cai em João Pessoa e juntamente a fumaça produzida pelas fogueiras acesas nos festejos juninos acarreta numa combinação perfeita para aumentar as taxas dos problemas respiratórios. Pensando no bem estar da população a Secretaria de Saúde de João Pessoa (SMS) alerta para que os cuidados sejam redobrados nesta época, principalmente com as crianças.

A exposição à poeira, fumaça da fogueira e dos fogos de artifício é um alto fator de risco para doenças respiratórias, principalmente entre pessoas que já desenvolvem quadros alérgicos, idosos e crianças. Essa situação pode causar irritação nos olhos e garganta, alergia, asma, bronquite, além de reduzir a resistência a infecções.

Segundo dados do Hospital Municipal Valentina (HMV), referência em atendimento infantil, em junho, as taxas de atendimentos por patologias respiratórias aumentam de 70% para 90%. “A alta umidade associada à fumaça favorecem o desenvolvimento de processos alérgicos, nesse período de junho quem mais sofre com a junção desses fatores são as crianças”, explica a pediatra e diretora do HMV, Carmem Gadelha.

Curta a página do Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias.

Os efeitos da fumaça se manifestam de forma diferente em cada pessoa, mas a irritação ocular e nasal está entre os mais comuns. Dor de cabeça e tontura são sinais mais graves de uma possível intoxicação. Nos casos em que o mal for intenso, o médico deve ser procurado imediatamente.

“É importante seguir sempre as orientações do médico que faz o acompanhamento regular,principalmente em pessoas que já desenvolveram algum tipo de alergia e crianças. Caso a medicação profilática não dê resposta é necessário buscar o mais rápido possível um pronto atendimento”, orienta Carmem Gadelha.

A médica orienta ainda para os cuidados redobrados com as crianças, principalmente as com idades até sete anos. “Evitar a exposição com fumaças ou proximidades com fogueiras frequentes e desnecessária é fundamental para a saúde da criança e o principal cuidado primário, ainda mais nesse período em que estamos”, comenta a pediatra. “O cuidado e preocupação dos pais são fundamentais, é importante saber que o adoecimento frequente não é normal e que nesses casos é necessário que os cuidados sejam redobrados”, completou.principalmente em pessoas que já desenvolveram algum tipo de alergia e crianças. Caso a medicação profilática não dê resposta é necessário buscar o mais rápido possível um pronto atendimento”, orienta Carmem Gadelha.

“Alguns cuidados simples também podem barrar o inicio de uma crise alérgica como fazer a higiene nasal com soro fisiológico, lavar o rosto ou tomar banho logo após o contato com a fumaça”, orienta Carmem.

A médica ressalta ainda os perigos dos fogos de artifício e das fogueiras. “São precauções básicas e simples, mas que merece sempre um reforço. Criança tem que está sempre sob os cuidados de alguém, principalmente se estiver em ambiente com fogueira ou alguém soltando fogos. Acidentes com queimaduras são muito comuns no período”, disse.

Serviço – Na rede municipal de saúde, as crianças alérgicas e com problemas respiratórios são atendidas no Hospital do Valentina, com atendimento 24 horas por dia em casos de urgência e emergência. Para o acompanhamento, as consultas devem ser marcadas na Unidade de Saúde da Família (UDF) onde a criança é cadastrada.

Já os adultos, em caso de urgência e emergência, devem seguir para as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) Oceania, em Manaíra, ou Célio Pires de Sá, no Valentina. Para o acompanhamento, assim como as crianças, devem procurar uma USF, podendo ser atendidos na unidade ou encaminhados pelo clinico geral para atendimento de alergologista ou pneumologista no Centro de Atenção Integral à Saúde (Cais) de Jaguaribe.

Para atendimento em casos de queimaduras, tanto adultos quanto crianças, devem ser socorridos pelo Samu Regional – 192 ou imediatamente encaminhados para o Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena.






Nenhum comentário:

Postar um comentário