terça-feira, 26 de maio de 2015

Vítima de boatos sobre sequestro de criança recebe ameaças na internet

Boatos de que operadora de caixa traficava crianças circulam pela internet (Foto: Reprodução/ TVCA)
G1 MT
Foto: reprodução G1 MT



Ela parou de andar de ônibus depois que fotos começaram a circular.

Operadora de caixa que trabalha em Cuiabá - MT denunciou crime à polícia.
Faz pouco mais de um mês que a vida da operadora de caixa Francineide Freitas Leal, de 27 anos, mudou em razão de boatos que começaram a circular nas redes sociais – montagens acusam a mulher e o ex-marido de sequestrar e traficar crianças.

Francineide já recebeu ameaças pela internet e chegou a cortar o cabelo para não ser reconhecida nas ruas de Cuiabá, o que não adiantou.

"Recebo ameaças nas redes sociais. É sempre algo como: 'Vou te mostrar como é tirar o órgão de uma criança, vou fazer a mesma coisa com você. Se eu te pegar vou te matar' -, contou a operadora de caixa.

A mesma imagem circulava com mensagens diferentes, mas todas alertavam sobre o perigo que o casal supostamente representava. Uma delas diz que eles visitam escolas disfarçados de fotógrafos para roubar crianças.

"Quando descobri, entrei em pânico. E a única coisa que sabia fazer era chorar. Foi um pesadelo”, contou Francineide. Ela estava no trabalho quando um amigo mostrou os boatos pela primeira vez. A rotina dela mudou completamente desde então.

“Parei de andar de ônibus por medo. Meu cunhado me levava [para o trabalho], e meus amigos me levavam embora”, lembrou.

Curta a página do Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias.

Os boatos circulam por todo o país, segundo ela. "Pessoas do Amazonas, do Paraná, de São Paulo e do Rio de Janeiro ainda compartilham as fotos. Inclusive, meus familiares no Maranhão chegaram a ver o boato”, disse.

Na tentativa de provar que a mensagem não condizia com a verdade, Francineide fez várias postagens nas redes sociais, mas ainda não conseguiu reverter a situação.

"A foto continua sendo compartilhada. Tem uma, inclusive, que tem uma criança cortada ao meio dizendo que sou a responsável por aquilo. Toda vez que entro na internet tem alguma foto sendo compartilhada como se fosse verdade”, citou.

Francineide tenta reverter boatos que circulam na internet. (Foto: André Souza/ G1)
Francineide tenta reverter boatos que circulam na internet.
(Foto: André Souza/ G1)

Início dos boatos

A operadora de caixa não tem nenhuma suspeita de quem teria começado os boatos na internet.

Antes disso, circulava uma foto do ex-marido, com uma mensagem que o acusava de ter abusado da filha dele e da filha de Francineide. Ele tinha sido denunciado e estava foragido. Hoje, está preso e responde por estupro de vulnerável.
"Mas, depois disso, o caso tomou outras proporções”, afirmou ela, citando as montagens com fotos do casal.

Para combater os boatos, Francineide acionou a polícia. Ela quer que o autor dessas montagens e responsável por espalhar as imagens seja encontrado. "Essa pessoa tem que pagar, porque essa pessoa ajudou a destruir a minha vida naquele momento” - afirmou.

De acordo com a Polícia Civil, é difícil descobrir a fonte exata do boato. Nenhum inquérito foi aberto para investigar a circulação das mensagens pela internet.

Para a especialista em crimes digitais, Adriele Cristina Rodrigues, os boatos demoram a parar de circular, pois a maioria das pessoas só vê a mensagem da acusação falsa. “Nem todo mundo teve acesso às mensagens em que ela explica a história. E, infelizmente, os boatos ainda vão permanecer por algum tempo”, explicou.

Outro caso

No ano passado, outra mulher foi vítima de boatos. A dona de casa Fabiane Maria de Jesus foi confundida com uma sequestradora de crianças e acabou sendo espancada em Guarujá, no litoral de São Paulo. Circulava pela internet o retrato falado de uma mulher, parecida com Fabiana, que teria sequestrado crianças para praticar rituais de magia negra. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu. Cinco pessoas foram presas suspeitas de envolvimento no crime.




Nenhum comentário:

Postar um comentário