quinta-feira, 19 de março de 2015

Pastor discorda de “beijo gay” exibido pela Globo e diz: “Deus abomina”


O Pastor declarou que a Globo deve ser auditada, não censurada, mas certos conteúdos devem passar por critérios.
 
O Pastor da Igreja Renascer em Cristo, da cidade de Cajazeiras, Eduardo Maranhão comentou nesta quarta-feira (18), os ‘males’ da nova novela global, Babilônia.

De acordo com o Pastor, o próprio nome Babilônia remete a ‘malignidade’ na Terra. Ele destacou que o objetivo da novela e trazer os conflitos sociais e disse discordar do “beijo gay” no primeiro capítulo da novela.

“As pessoas confundem homossexualismo com homofobia. Ser homofóbico é agredir a pessoa. As cenas da novela têm o objetivo de induzir as pessoas. Tem que ter a análise de restringir”. Criticou o Pastor.

Eduardo Maranhão comentou que uma pessoa de 60 anos, que teve uma vida tradicional não apareceria em público beijando outra mulher. “Isso não tem lógica, mas a intenção é pegar um adolescente, que vai achar que pode fazer o mesmo”.

Curta a página do Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias.

O Pastor declarou que a Globo deve ser auditada, não censurada, mas certos conteúdos devem passar por critérios. “Ela estar dentro dos lares induzindo as pessoas”.

Segundo ele, o homossexualismo sempre existiu, porém, nunca existiu permissão de Deus. “Desde que existe o homem existe a promiscuidade, mas Deus abominou isto”.

O que é?

Babilônia foi a capital da Suméria, na antiga Mesopotâmia, que atualmente é o Iraque. Babilônia significa "Porta de Deus", e os judeus dizem que é um termo de origem hebraica, que significa confusão, e inclusive aparece na Bíblia.

Babilônia foi um império, que fez história, principalmente com o Rei Nabucodonosor, e teve um papel fundamental na história da Mesopotâmia. A Babilônia era uma cidade muito avançada para a sua época, desde os primórdios, seus habitantes tinham grandes conhecimentos sobre agricultura, arquitetura, astronomia etc. O primeiro rei foi Hamurabi, que influenciou até os dias de hoje, pois foi ele quem criou a divisão do dia em 24 horas e da hora em 60 minutos.

 
Cena da novela Babilônia que aconteceu o beijo gay






Diário do sertão
Foto reprodução Diário do Sertão

Nenhum comentário:

Postar um comentário