quarta-feira, 4 de março de 2015

Arqueólogos encontram casa onde Jesus pode ter passado a infância



Estrutura situada em Nazaré era reconhecida por povos antigos como local onde ele foi criado.

RIO - Arqueólogos descobriram em Nazaré, cidade de Israel descrita como local onde Jesus passou a infância, uma casa que pode ter sido o lugar onde ele foi criado por Maria e José. A estrutura data do primeiro século e foi parcialmente construída com paredes de argamassa e pedra, apoiada numa.

A construção já havia sido descoberta na década de 1880, por freiras no Convento das Irmãs de Nazaré, mas não havia sido verificada por arqueólogos até 2006, quando uma equipe liderada por Ken Dark, da Universidade de Reading, no Reino Unido, identificou a casa como pertencente ao primeiro século.

Segundo os pesquisadores, pessoas que viveram séculos após a época de Jesus acreditavam que ele havia sido criado ali. Se isso aconteceu de fato, ainda não é possível saber, mas Dark acredita na possibilidade.

Curta a página do Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias.

"Foi esta a casa onde Jesus cresceu? É impossível dizer por motivos arqueológicos", escreveu Dark em artigo publicado na revista "Biblical Archaeology Review". "Por outro lado, não há nenhuma boa razão arqueológica para que tal identificação não seja levada em consideração."

Os arqueólogos descobriram que, séculos depois do tempo de Jesus, o Império Bizantino, que controlava Nazaré até o século VII, decorou a casa com mosaicos e construiu uma igreja conhecida como a "Igreja da Nutrição" sobre a casa. Isso protegia a construção.

Além disso, segundo os pesquisadores, soldados das cruzadas que se aventuraram na Terra Santa no século XII fixavam-se na igreja depois que ela caiu em desuso. Estas evidências, portanto, sugerem que tanto bizantinos quanto soldados acreditavam que essa era a casa onde Jesus havia sido criado, disse Dark.

Os objetos do primeiro século encontrados na casa incluem potes de cozinha quebrados e vasos de pedra calcária, sugerindo que uma família viveu no local. E os vasos de calcário sugerem tratar-se de uma família judia, porque as crenças judaicas consideram que o material não poderia se tornar impuro.

Dark e sua equipe descobriram que a casa ficou abandonada em algum momento durante o primeiro século. Depois disso, a área foi utilizada para fins de extração e, posteriormente, como um cemitério. Dois túmulos agora vazios foram construídas ao lado da casa abandonada.

O fato de a casa ter sido protegida explica sua "excelente preservação", afirmou Dark. De acordo com ele, "grandes esforços" foram feitos para preservar a estrutura.

Além das evidências arqueológicas, um texto de 670 d.C. feito pelo abade Adomnàn, da ilha escocesa de Iona, relata a existência de uma peregrinação a Nazaré feita pelo bispo franco Arculf, e menciona uma igreja "onde antes havia a casa na qual o Jesus foi alimentado durante a infância ", de acordo com a tradução dos escritos de Adomnàn por James Macpherson Rose.







O Globo

Foto reprodução O Globo /Ken Dark

Nenhum comentário:

Postar um comentário