domingo, 23 de novembro de 2014

Veja 7 sintomas de que seu celular foi infectado e 7 dicas de como se proteger


Sistema do Google é o que exige mais cuidados
O sistema do Google responde por mais de 90% dos ataques de hackers a smartphones. Para ajudar o usuário de smartphones ou tablets com Android a se defender das ameaças, a Kaspersky Lab elaborou uma lista com os sete sintomas mais comuns que indicam que algo malicioso está ocorrendo em um dispositivo Android. A empresa também dá 7 dicas de como se proteger. Confira:
Sintomas:

1. Anúncios não desejados: se seu smartphone ou tablet está cheio de pop-ups e outros tipos de anúncios intrusos, ou se durante a navegação ocorrem redirecionamentos não esperados, é provável que você tenha instalado um adware.

2. Picos de dados: Alguns arquivos maliciosos incrementam o uso de dados para fazer com que o dispositivo se conecte repetidamente a um website, clique em anúncios, faça download de arquivos grandes e envie mensagens. Controle seu pacote de dados.

3. Faturas elevadas sem motivo: Frequentemente, o malware faz com que um smartphone ou tablet infectado ligue ou envie SMS para números premium, também conhecidos como “0900” ou números curtos de 5 dígitos, elevando o preço da fatura telefônica.

4. Aplicativos não solicitados: Alguns apps maliciosos compram ou baixam aplicações do Google Play ou outras lojas não oficiais. Se em seu dispositivo aparecer aplicativos que você não fez o download, suspeite.

Curta o Facebook do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias. Clique AQUI

5. Apps que utilizam funções desnecessárias: Alguns programas maliciosos se disfarçam de aplicativos legítimos. Se solicitarem permissões ou outras funções que não são necessárias para seu uso, é provável que tenha fins maliciosos.

6. Atividade estranha em contas online: Este problema não afeta somente os PCs. O malware móvel é muito complexo e pode roubar senhas e credenciais de acesso e dados guardados no dispositivo móvel.

7. Aplicações que exigem dinheiro para desbloquear o dispositivo: Nenhuma empresa legitima que opera dentro da lei bloqueia o dispositivo e pede dinheiro para desbloqueá-lo.

Como se proteger:

1. Não pratique o 'jailbreak' no dispositivo, ou seja, não instale uma versão do sistema que não seja a de fábrica e que permita a instalação de apps não-autorizados.
2. Configure um PIN ou uma senha para desbloquear a tela.
3. Baixe aplicativos que procedam de fontes de confiança, sempre prefira os da loja oficial.
4. Não utilize redes Wi-Fi públicas na hora de realizar qualquer tipo de transação.
5. Revise as permissões solicitadas pelos aplicativos.
6. Armazene somente os dados confidenciais que sejam necessários no dispositivo.
7. Instale uma função de controle parental para evitar que as crianças comprem aplicativos ou conteúdo multimídia sem a permissão de adultos.



IG
Foto reprodução Getty Images

Nenhum comentário:

Postar um comentário