terça-feira, 4 de novembro de 2014

Disque Denúncia auxilia na prisão de 122 pessoas na Paraíba

Não é necessária a identificação e a denúncia é encaminhada em tempo real para a unidade policial

Instrumento de comunicação com a Polícia em que qualquer cidadão permanece com sua identidade preservada, o Disque Denúncia vem apresentando resultados relevantes na Paraíba. Segundo o gerente operacional do serviço, João Batista Micena, de janeiro até setembro deste ano já foram presas 122 pessoas em decorrência de denúncias anônimas feitas pela população.

Um dos casos desvendados com a ajuda de informações da população por meio do Disque Denúncia foi o assassinato do casal Washington Luiz e Lúcia Sant´Ana, em junho deste ano, em Campina Grande. O mandante do homicídio, Nelsivan Marques, era sócio de Washington. O crime ocorreu no momento em que o casal saía do casamento do acusado, tendo este planejado todo o crime. Várias denúncias foram recebidas e auxiliaram a Polícia a prender os envolvidos e encerrar o caso.

O serviço da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Seds) atende pelo número 197 e recebeu nos primeiros nove meses deste ano mais de 3.100 ligações oriundas de 130 cidades paraibanas. Dez policiais civis são responsáveis por manter o atendimento funcionando 24 horas por dia, e o mais importante é que a ligação é gratuita, inclusive de telefones públicos, para informar sobre crimes como homicídios, tráfico de drogas ou qualquer outro ato ilícito.

Curta o Facebook do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias. Clique AQUI 

“A maioria dos crimes denunciados é de tráfico e assassinato, por isso auxiliamos na apreensão de drogas e armas. O nosso trabalho é de investigação”, destacou o gerente do 197, João Micena. Segundo ele, a contribuição da população é importante para auxiliar a polícia no enfrentamento à violência.

“O grande diferencial do Disque Denúncia é que, antigamente, este serviço não existia e se a população quisesse colaborar com o trabalho policial teria que se deslocar até uma delegacia, o que para o cidadão era um obstáculo, haja vista que acabava se expondo. Hoje, por telefone, o cidadão tem todo o sigilo e anonimato garantidos. Não é necessária a identificação e a denúncia é encaminhada em tempo real para a unidade policial responsável pela apuração dos fatos”, explicou.








WSCOM
Foto reprodução WSCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário