domingo, 7 de setembro de 2014

PT e PSDB estão 'irmanados' para nos destruir, diz Marina.

Marina Silva faz sinal de positivo em evento da campanha em São Paulo

É impressionante a mobilização de exércitos de propagadores de calúnias, mentiras e distorções nas redes sociais", disse a candidata do PSB.
Marina Silva: "PT e PSDB estão irmanados na determinação de nos destruir, não importam os meios"
São Paulo - A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, disse neste domingo, 7, que o PT e o PSDB estão irmanados na determinação de destruir a sua chapa. "Tanto representamos a mudança que a sociedade brasileira está assistindo a um degradante espetáculo político inédito: PT e PSDB irmanados na determinação de nos destruir, não importam os meios", disse ela, em coletiva de imprensa, realizada hoje.
Marina destacou que a candidata do PT à reeleição, presidente Dilma Rousseff, mostrou falso respeito e admiração no início da campanha e faz hoje ataques caluniosos em sua propaganda na TV. "É impressionante a mobilização de exércitos de propagadores de calúnias, mentiras e distorções nas redes sociais", disse.

Curta o Facebook do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias. Clique AQUI
Para a candidata do PSB, os candidatos da oposição não se conformam em ver o povo brasileiro demonstrando sua vontade de sair da colonização política representada por ambos (PT e PSDB). E os partidos também não se conformam em ver sua "bem treinada" e "confortável polarização" ser quebrada pela primeira vez em décadas e, então, partem juntos para o enfrentamento da manifesta vontade social por mudanças.
Marina afirmou ainda que a o País está doente da sanha pelo poder que destrói a política. "Mandatos devem ser exercidos para servir à sociedade e não como profissão. Mesmo diante de momento de degradação do debate político, nossa aliança quer aprofundar a independência do Brasil", disse ela, acrescentando que a manifestação do PSB no Dia da Independência, com a caminhada no Parque da Independência, em São Paulo, mostra a opção da chapa pelo debate.



Exame
Reuters/Paulo Whitaker

Nenhum comentário:

Postar um comentário