terça-feira, 26 de maio de 2015

População denuncia falta de efetivo policial e interior da Paraíba sofre com violência

Delegacia fechada e grades instaladas em Barra de Santana
Portal Correio
Foto reprodução: Portal Correio



TV Correio HD percorreu cidades do Cariri da Paraíba e registrou denúncias de moradores que sofrem com constantes assaltos e tiveram que modificar hábitos para tentar fugir de ações criminosas.

Grades para todo lado. Esta foi a forma que a população de Barra de Santana, no Cariri paraibano, a 133 km de João Pessoa, encontrou para se sentir mais protegida dos bandidos. A cidade é alvo frequente de assaltantes. Para ter acesso aos dados da violência no local, uma equipe da TV Correio HD se dirigiu até a delegacia do município, mas encontrou o local fechado. Na porta, um aviso informa a população sobre o funcionamento da unidade, justificando que está fechada durante diligências, pois o número de policiais é reduzido. Confira o vídeo da matéria na parte de baixo desta página.

A população afirma que a presença da polícia na cidade não é frequente. Pessoas que não quiseram se identificar disseram que a Polícia Militar não fica na cidade e que a delegacia de Polícia Civil tem como funcionários apenas um delegado e um escrivão, que registram as ocorrências e vão embora.

“Barra de Santana está precisando de um policiamento, pelo amor de Deus!”, disse uma senhora, que relatou que ocorrem assaltos constantemente e que a população se vê obrigada a ficar presa dentro de casa. Segundo ela, a PM vai ao município, faz apenas uma ronda, e, em seguida, vai embora.

Curta a página do Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias.

Na cidade, o pastor de uma igreja evangélica mandou instalar grades de proteção, além das portas que já existiam, para a segurança dos fiéis. Na igreja Católica, o padre alterou o horário das missas. “Sempre era à tarde. Agora é de 9h da manhã”, disse um morador, que explicou que ainda há celebração nas noites de quinta-feira, mas a população fica apreensiva.

A violência alterou o ritmo de vida na cidade de tal modo que, em uma farmácia, os clientes nem sequer podem entrar no estabelecimento para comprar algo. A transação comercial se dá através de uma grade. O local é aberto apenas quando os funcionários conhecem o cliente.

O Conselho Tutelar do município revela que tem dificuldades em realizar trabalhos sem o apoio da polícia. Segundo o coordenador da instituição, sem o auxílio, fica difícil lidar com menores infratores.

Um comerciante local, que foi assaltado há poucos dias e teve um prejuízo de quase R$ 1 mil, relatou que não há condições de se trabalhar depois das 18h, sob o risco de arrastões. Ele disse que se sente humilhado e que pensa em fechar o bar do qual é proprietário e mudar de ramo. Ele informou que, quando sofreu o assalto, passou seis dias para poder prestar queixa, pois não encontrou polícia em Barra de Santana. Ele, então, teve que se dirigir à cidade de Queimadas.

A cerca de 35 km de distância fica a cidade de Caturité, também no Cariri. No local, a situação não é diferente. Uma moradora disse que a PM comparece ao município apenas nos fins de semana.

Comerciantes também relataram assaltos. Um deles ficou impressionado com a demora da PM em comparecer ao local. Outro profissional do comércio disse que só conseguiu registrar uma ocorrência criminosa indo à cidade de Boqueirão, a 15 km de distância. Ele evidenciou a falta de uma viatura policial em Caturité.

A Secretaria de Segurança e Defesa Social emitiu uma nota oficial sobre o problema da violência no Cariri da Paraíba. Leia abaixo o texto na íntegra:

"Os gestores das áreas citadas na reportagem já estão cientes do problema. Eles estão adequando o efetivo para atender a demanda, o que deve acontecer o mais breve possível em decorrência da chegada dos novos delegados e agentes de investigação aprovados no último concurso da Polícia Civil, que já estão sendo designados para ocupar as delegacias no interior do Estado."  








Continuar lendo...

Cariri paraibano: Adolecente enfurecida ameaça mãe de morte e agride Conselheira Tutelar

De Olho no Cariri
Foto reprodução De Olho no Cariri
 



O atrevimento e sensação de impunidade levam adolescentes a desafiarem a lei e as autoridades. Um exemplo disso ocorreu nesta segunda-feira (25), por volta das 17h30min, dentro da Delegacia Regional de Monteiro - PB. A mãe de uma adolescente enfurecida foi ameaçada de morte e a Conselheira Tutelar Rosa Santa Cruz, chegou a ser agredida ao pedir respeito à adolescente.

Segundo informações apuradas, a Polícia Militar foi acionada pois a adolescente estaria ameaçando a mãe. Diante dos fatos mãe e filha foram encaminhadas para a delegacia. O Conselho Tutelar foi acionado e esteve representado pela conselheira Rosa.

Curta a página do Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias.

Na delegacia e mesmo diante das autoridades, a adolescente se mostrou agressiva e continuou ameaçando a mãe. “Vou cortar sua cabeça e mandar os nóias colocarem em uma estaca”, ameaçou a adolescente. Chocada com a situação, a conselheira foi em defesa da mãe pedindo para que a adolescente a respeitasse. Neste momento, a garota partiu de forma furiosa em direção à Conselheira Tutelar, quebrou uma gargantilha e arranhou a conselheira.

Foi necessária a força policial para conter a jovem enfurecida. A conselheira Rosa realizou o exame de corpo de delito e foi instaurado procedimentos cabíveis em circunstâncias dos fatos.





Continuar lendo...

Vítima de boatos sobre sequestro de criança recebe ameaças na internet

Boatos de que operadora de caixa traficava crianças circulam pela internet (Foto: Reprodução/ TVCA)
G1 MT
Foto: reprodução G1 MT



Ela parou de andar de ônibus depois que fotos começaram a circular.

Operadora de caixa que trabalha em Cuiabá - MT denunciou crime à polícia.
Faz pouco mais de um mês que a vida da operadora de caixa Francineide Freitas Leal, de 27 anos, mudou em razão de boatos que começaram a circular nas redes sociais – montagens acusam a mulher e o ex-marido de sequestrar e traficar crianças.

Francineide já recebeu ameaças pela internet e chegou a cortar o cabelo para não ser reconhecida nas ruas de Cuiabá, o que não adiantou.

"Recebo ameaças nas redes sociais. É sempre algo como: 'Vou te mostrar como é tirar o órgão de uma criança, vou fazer a mesma coisa com você. Se eu te pegar vou te matar' -, contou a operadora de caixa.

A mesma imagem circulava com mensagens diferentes, mas todas alertavam sobre o perigo que o casal supostamente representava. Uma delas diz que eles visitam escolas disfarçados de fotógrafos para roubar crianças.

"Quando descobri, entrei em pânico. E a única coisa que sabia fazer era chorar. Foi um pesadelo”, contou Francineide. Ela estava no trabalho quando um amigo mostrou os boatos pela primeira vez. A rotina dela mudou completamente desde então.

“Parei de andar de ônibus por medo. Meu cunhado me levava [para o trabalho], e meus amigos me levavam embora”, lembrou.

Curta a página do Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias.

Os boatos circulam por todo o país, segundo ela. "Pessoas do Amazonas, do Paraná, de São Paulo e do Rio de Janeiro ainda compartilham as fotos. Inclusive, meus familiares no Maranhão chegaram a ver o boato”, disse.

Na tentativa de provar que a mensagem não condizia com a verdade, Francineide fez várias postagens nas redes sociais, mas ainda não conseguiu reverter a situação.

"A foto continua sendo compartilhada. Tem uma, inclusive, que tem uma criança cortada ao meio dizendo que sou a responsável por aquilo. Toda vez que entro na internet tem alguma foto sendo compartilhada como se fosse verdade”, citou.

Francineide tenta reverter boatos que circulam na internet. (Foto: André Souza/ G1)
Francineide tenta reverter boatos que circulam na internet.
(Foto: André Souza/ G1)

Início dos boatos

A operadora de caixa não tem nenhuma suspeita de quem teria começado os boatos na internet.

Antes disso, circulava uma foto do ex-marido, com uma mensagem que o acusava de ter abusado da filha dele e da filha de Francineide. Ele tinha sido denunciado e estava foragido. Hoje, está preso e responde por estupro de vulnerável.
"Mas, depois disso, o caso tomou outras proporções”, afirmou ela, citando as montagens com fotos do casal.

Para combater os boatos, Francineide acionou a polícia. Ela quer que o autor dessas montagens e responsável por espalhar as imagens seja encontrado. "Essa pessoa tem que pagar, porque essa pessoa ajudou a destruir a minha vida naquele momento” - afirmou.

De acordo com a Polícia Civil, é difícil descobrir a fonte exata do boato. Nenhum inquérito foi aberto para investigar a circulação das mensagens pela internet.

Para a especialista em crimes digitais, Adriele Cristina Rodrigues, os boatos demoram a parar de circular, pois a maioria das pessoas só vê a mensagem da acusação falsa. “Nem todo mundo teve acesso às mensagens em que ela explica a história. E, infelizmente, os boatos ainda vão permanecer por algum tempo”, explicou.

Outro caso

No ano passado, outra mulher foi vítima de boatos. A dona de casa Fabiane Maria de Jesus foi confundida com uma sequestradora de crianças e acabou sendo espancada em Guarujá, no litoral de São Paulo. Circulava pela internet o retrato falado de uma mulher, parecida com Fabiana, que teria sequestrado crianças para praticar rituais de magia negra. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu. Cinco pessoas foram presas suspeitas de envolvimento no crime.




Continuar lendo...

Câmara rejeita distritão e mantém modelo atual de eleição para deputados e vereadores

Sessão para análise e discussão da Reforma Política. Deputados comemoram a rejeição do sistema eleitoral distrital (distritão)
Agência Câmara
Fotos: Luis Macedo




No distritão, os deputados e vereadores seriam eleitos apenas de acordo com a quantidade de votos recebidos. Foi mantido o sistema atual, que leva em conta os votos recebidos individualmente pelos candidatos e os recebidos pelo partido

O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou nesta terça-feira o principal ponto da reforma política (PEC 182/07) proposto pelo deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ): o chamado “distritão”, modelo em que os deputados e vereadores seriam eleitos apenas de acordo com a quantidade de votos recebidos, no sistema majoritário. A proposta foi rejeitada por 267 votos a 210 e 5 abstenções.

A Câmara manteve o modelo atual, com sistema proporcional, que leva em conta os votos recebidos individualmente pelos candidatos de um partido e os recebidos pela legenda. Esses votos são usados para um cálculo de quantas vagas cada partido consegue preencher. Outras mudanças nesse sistema – como a cláusula de barreira e mudanças nas coligações – poderão ser discutidas nesta quarta-feira, quando o Plenário vai retomar a discussão da reforma.

Curta a página do Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias.

Os deputados também rejeitaram, por 402 votos a 21 e duas abstenções, o sistema de votação em listas fechadas, que previa a distribuição das vagas de acordo com listas pré-ordenadas. O sistema distrital misto – em que metade das vagas seria preenchida por lista e a outra metade pelo voto majoritário em distritos – também foi rejeitada pelo Plenário por 369 votos a 99 e 2 abstenções.

Antes de encerrar a votação, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, ressaltou que manteve "rigorosamente" a promessa de votar a reforma política em Plenário, permitindo que os deputados votem todos os modelos propostos. Segundo ele, os deputados terão de arcar com o resultado das votações. "Não aprovar nenhum modelo significa votar o modelo de hoje, uma decisão que a Casa tem de assumir a responsabilidade", disse.

Intenso debate

O distritão foi alvo de intenso debate até mesmo durante a votação dos outros modelos. Deputados contrários chegaram a empunhar cartazes explicando os motivos pelos quais votaram contra o modelo: excesso de personalismo, diminuição da força dos partidos, entre outros. Para os favoráveis, o distritão é um modelo simples de ser entendido e capaz de diminuir a pulverização de votos que levou ao Parlamento 28 partidos e baratear as campanhas com menos deputados.

O relator da matéria, deputado Rodrigo Maia, responsabilizou o PT pela derrota. “O PT mobilizou uma parte da sua base, virou votos da semana passada para essa e provou que não quer mudar nada”, disse.

O líder do PMDB, deputado Leonardo Picciani (RJ), outro partidário do distritão, também lamentou a derrota. “A decisão da maioria foi de não promover mudança no sistema eleitoral. O PMDB cumpriu o seu papel e defendeu a mudança do sistema”, disse.

O partido, no entanto, contou com dissidências. O deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), que foi relator da comissão especial da reforma política e teve o parecer preterido por decisão dos líderes, chegou a distribuir um panfleto aos deputados denunciando falhas do distritão.

Quem comemorou o resultado foi o deputado Henrique Fontana (PT-RS). “Derrotamos o que era o grande risco de retrocesso para a democracia do País, que era o distritão, um sistema que seria o paraíso do abuso do poder econômico e o fim dos partidos”, disse.

Sessão para análise e discussão da Reforma Política

Argumentos

O líder do PR, deputado Maurício Quintella Lessa (PR-AL), chamou o "distritão" de "canto da sereia". "Em princípio, parece um sistema que prega a simplicidade, mas é o sistema que personifica a eleição e fragiliza os partidos e ideias. Cada deputado seria um partido político", disse ele, afirmando que o modelo de eleger os mais votados inviabiliza as minorias.

Para o deputado Vinicius Carvalho (PRB-SP), o distritão não atenderia aos que foram às ruas desde 2013 pedindo mudanças nos rumos do governo. "No Japão, chegou-se à conclusão de que o distritão favorecia a disputa individualizada, a disputa entre os parlamentares e estimulava também os casos de corrupção e caixa dois. É isso que nós queremos dar como resposta ao clamor das ruas?", questionou.

O líder do Psol, deputado Chico Alencar (RJ) também avaliou que o voto majoritário fortalece o personalismo e iria piorar a política. "Aprovar esse sistema majoritário individualista, que mata a ideia de solidariedade partidária, é colocar no alto do trono da política brasileira o cada um por si, a campanha rica, o partido como um mero carimbador", criticou.

Para o deputado Miro Teixeira (Pros-RJ), no entanto, não haveria problema em aumentar o personalismo. Ele defendeu a aprovação do “distritão”. "Sejamos individualidades, nós representamos o povo, não temos de ser usados como cabos eleitorais de luxo ou para cumprir ordens dos donos da política", avaliou.


O líder do DEM, deputado Mendonça Filho (PE), argumentou que o distritão poderia ser a solução para o excesso de partidos. "Este Parlamento, do ponto de vista partidário, está uma verdadeira zorra, são 28 partidos com assento, recorde mundial", disse. Hoje, segundo ele, os aspirantes a candidato já buscam partidos não pela ideologia, mas pela facilidade de se eleger. "Esse é o mundo real, não adianta aula de cientista político", ressaltou.





Continuar lendo...

Seridó paraibano: Popular tem motocicleta roubada na zona rural

Click Picuí
Foto ilustrativa da internet



Por volta das 17:00 horas desta segunda feira 25, o senhor Antonio Márcio Lima da Silva, foi vítima de assalto ocorrido na comunidade rural ‘Lajedo Grande’ zona rural de Picuí no Seridó paraibano.

Segundo a vítima, o mesmo seguia em sua moto por uma estrada carroçável, quando foi abordado por dois desconhecidos, numa moto, usando capacetes e de revolver em punho, o carona anunciou o assalto e pedia que não olhasse para seus rostos. A vítima sem reação entregou sua moto Honda CG 125 –Titan, vermelha, ano 2001/2002 – placa MXO 4669 RN.

Os meliantes perguntaram ainda se a moto estava com gasolina suficiente pra chegar ao trevo de Cuité e a vítima disse que sim, tinha bastante gasolina.

Curta a página do Facebook AQUI ou siga o Twitter AQUI do São Vicente Agora e fique atualizado com as notícias.

Mas, ao colher informações na comunidade, Antonio Márcio soube que os meliantes subiram a serra com destino a Nova Floresta - PB e pede a quem tiver alguma informação sobre o destino dessa moto ligar para 9669:7891 – 9684:1765 – falar com Etin, ou ligar para delegacia de Polícia de Picuí 0**83 3371:2324.

Numa rede social a vítima se expressou sobre o ocorrido: 


“Passei por um momento que não desejaria pra ninguém, nem para o meu pior inimigo. Eu estava mim deslocando da casa do meu pai até a casa de um colega meu, quando dois elementos armados em uma moto mim abordaram com bastante agressividade. Então no momento fiquei sem saber o que fazer, fiquei muito nervoso e com bastante medo, mas mesmo assim deus mim deu forças para não demostrar naquele momento tão apavorante o meu desespero. Só eu e deus naquele momento sabia o que eu estava sentindo. É muito triste você ficar a frente de uma pessoa armada lhe dando pressão. Eles levaram a moto mais mim deixaram vivo, isso é o que importa. A moto eu vou trabalhar e comprar outra, porque deus mim da forças todos os dias para caminhar de cabeça erguida. Então eu só tenho a agradecer por estar aqui para contar esse momento crítico que passei” – disse a vítima.





Continuar lendo...